O combinado foi: ninguém solta a mão de ninguém. Vamos levar a sério para começar 2019 com o pé direito? Estamos na reta final dessa vaquinha histórica para fortalecer organizações que acolhem vítimas de violência. Temos pouco tempo e precisamos do seu apoio! Dá esse passo com a gente?
For international donations, click here ;)

Faça uma doação

Meta: R$ 500.000
faltam 9 dias
Sua doação é 100% assegurada pelo sistema de pagamento do Pagar.me e será repassada pelo Nossas para apoiar organizações que acolhem e dão suporte a vítimas de ódio, intolerância e violência - mulheres, negros e negras, gays, lésbicas, trans, indígenas e refugiados.
Com uma doação de 20 reais, você estará contribuindo para que a Casa Tina Martins, que acolhe mulheres em situação de violência, forneça uma refeição de qualidade para uma acolhida.
Ao contribuir com 60 reais, você cobre o custo diário de transporte da equipe do Centro Carmem Bascaran para comunidades vulneráveis no campo do interior do Maranhão fica assegurado.
Doando 150 reais, você garante que as Mulheres Mirabal terão tudo que precisam para realizar uma oficina sobre violência doméstica.
Com uma doação de 450 reais, você ajuda a Casa Miga a garantir uma semana de mantimentos para os LGBTs e refugiados acolhidos.
Com 1200 reais, você ajuda a pagar os custos de uma semana de assessoria jurídica do Centro de Trabalho Indigenista.
Outras organizações em todas as regiões brasileiras também poderão ser apoiadas através de um edital público. Caso você queira doar um valor maior, envie um email contato@ninguemficapratras.org :)
SAIBA MAIS
O combinado foi: ninguém solta a mão de ninguém. E nós levamos a sério! Já somos mais de 2 mil pessoas de mãos dadas em uma enorme vaquinha para apoiar organizações que acolhem quem mais sofre violência. Nosso primeiro passo já foi gigante: em 15 dias, batemos nossa primeira meta, arrecadamos 250 mil reais e garantimos recursos para apoiar cinco organizações incríveis que acolhem mulheres e pessoas LGBTQI vítimas de ódio e intolerância. Essas eleições podem ter mostrado o tamanho do ódio, mas elas também provaram a força da nossa união!
Agora precisamos continuar caminhando: dobramos a meta, dobramos o número de organizações apoiadas e precisamos de você para dobrar as doações! A missão é arrecadar mais R$250 mil para fortalecer outros cinco grupos* espalhados por todo país - que trabalham acolhendo mulheres, pessoas LGBTQI, refugiados, indígenas e vítimas de trabalho escravo. É uma meta ousada, mas se essas últimas semanas nos ensinaram algo é que, organizando direitinho, somos capazes de apoiar muita gente!
Nosso financiamento vai possibilitar que essas organizações paguem aluguel, refeições, contas de luz e outras despesas essenciais. Com um presidente que incita publicamente o ódio, elas vão precisar apoiar ainda mais pessoas - com poucos recursos e sob ameaça direta do novo governo. É dever de todos e todas assegurar que essas organizações não fiquem sozinhas nem um minuto nos próximos 4 anos!
Em tempos difíceis, nossa esperança é alimentada pela força da ação coletiva - e isso é emocionante, isso é democracia! Dê este segundo passo junto com a gente. Participe da resistência do afeto e da solidariedade: faça sua colaboração!
Já arrecadamos R$250 mil na primeira meta e fortalecemos cinco organizações (veja mais aqui) que trabalham com vítimas de violência! Agora, dobramos a meta para apoiar mais cinco grupos espalhados pelo Brasil. Confira os trabalhos incríveis que a sua doação vai fortalecer.
SOBRE A ORGANIZAÇÃO:
Fundado em março de 1979 por antropólogos e indigenistas, o CTI tem como marca de sua identidade a atuação direta em Terras Indígenas por meio de projetos elaborados a partir de demandas locais, visando contribuir para que os povos indígenas assumam o controle efetivo de seus territórios, esclarecendo-lhes sobre o papel do Estado na proteção e garantia de seus direitos constitucionais.
PORQUE PRECISAMOS DESSE APOIO
"Atuamos na defesa dos direitos dos povos indígenas que já estão sendo duramente atacados. O novo governo sinaliza para uma intensificação dos ataques no âmbito dos três poderes. Garantir recursos para assessorias técnica e jurídica é essencial para a continuidade do trabalho na defesa desses direitos." Jaime Coordenador executivo do CTI
SOBRE A ORGANIZAÇÃO
Fundado em 1996, o centro atua no interior do Maranhão contra violações de direitos humanos na região, com atenção especial a situações de trabalho escravo. Através da organização comunitária, prestam atendimento social e jurídico gratuito a pessoas em situação de grave vulnerabilidade. Além disso, realizam atividades socioculturais para inserção social, promovendo alternativas de capacitação e geração de emprego e renda com base na economia solidária.
PORQUE PRECISAM DESSE APOIO?
"Esse recurso vai ser essencial para garantir a sobrevivência da organização e a manutenção das nossas atividades. Na conjuntura política e social do momento, a previsão é um aumento das violações de direitos humanos e o enfraquecimento da resposta governamental. Por isso é fundamental sustentar alternativas de atuação que garantam uma resposta ao povo mais pobre e excluído da nossa sociedade." (Mariana, Secretária Executiva do CDVDH/CB)
CASA MIGA
SOBRE A ORGANIZAÇÃO
O projeto, que atua na região da Amazônia na defesa e garantia dos direitos humanos, tem como objetivo a ressocialização de pessoas LGBTs que se encontram em vulnerabilidade social - incluindo LGBTs refugiados. Trabalham criando redes de proteção estratégicas com suporte jurídico, psicológico e médico a essas pessoas. Também oferecem em sua sede aulas de língua portuguesa, culinária e cursos para inserção no mercado de trabalho.
PORQUE PRECISAM DESSE APOIO?
"Esse apoio é muito importante porque não contamos com a ajuda do setor público: todo o montante arrecadado e doações em roupas e demais acessórios para o suporte das pessoas acolhidas são feitas pela população em geral. (...) O recurso ajudará a gerenciar os custos de moradia, alimentação, transporte dos voluntários da casa e demais suportes que são oferecidos aos acolhidos!" (Gabriel, Fundador da Associação Manifesta LGBT+)
SOBRE A ORGANIZAÇÃO
É um centro de acolhimento e abrigamento para mulheres e seus filhos - vítimas de violência doméstica e familiar. Contam com uma equipe voluntária composta por assistentes sociais, psicólogas e advogadas que realizam oficinas, eventos e rodas de conversa para toda a comunidade. O objetivo é fortalecer e politizar as mulheres para que possam entender seus direitos, mudar suas perspectivas e romper ciclos de violência.
PORQUE PRECISAM DESSE APOIO?
"Hoje a casa funciona em um local com diversos problemas de estrutura, usaríamos o dinheiro arrecadado para fazer reformas elétricas, hidráulicas, colocar vidros em janelas, consertar esquadrias e melhorar áreas com revestimentos precários. Também compraríamos itens para melhorar o funcionamento da casa, como alguns móveis para os quartos e equipamentos de escritório; internet e telefone para melhoria na comunicação; término da biblioteca e demais gastos fixos mensais, como, por exemplo, medicamentos, transporte e material para as oficinas." (Nicole, uma das coordenadoras da Mulheres Mirabal)
SOBRE A ORGANIZAÇÃO:
A Casa surgiu da necessidade de reivindicar a efetivação dos serviços de atendimento a mulheres em situação de violência em Belo Horizonte (MG). Hoje, atua em quatro eixos: formação política, encaminhamentos (jurídicos e psicológicos), acolhimento e abrigamento.
PORQUE PRECISAM DESSE APOIO
"Nossa Casa é autogestionada e autofinanciada pelo Movimento de Mulheres Olga Benario, e não possui, além de nossos esforços, meios para sua manutenção." (Pedrina, coordenadora da Casa de Referência
da Mulher Tina Martins)
Quanto mais dinheiro arrecadarmos, mais organizações vamos fortalecer! Vamos juntos garantir que #NinguémFicaPraTrás?
Nossa primeira meta garantiu o fortalecimento de cinco organizações incríveis que fazem trabalhos lindos e necessários de apoio a vítimas de violência.
Batemos a primeira meta - e dobramos ela! Selecionamos mais cinco organizações que precisam do nosso apoio para garantir que ninguém fique pra trás! Dê este segundo passo junto com a gente: contribua!
Se conseguirmos bater nossa última meta, vamos abrir um edital público para que organizações de todo o Brasil se inscrevam e sejam fortalecidas por esses recursos.
TRANSPARÊNCIA
Além do dinheiro para cada organização bancar aluguel, equipamentos, refeições e outros custos essenciais, temos alguns custos de produção que estão embutidos nas metas. De todo o valor arrecadado, 80% serão repassado para as organizações, 5% serão usado para cobrir a taxa do nosso sistema de pagamento (Pagar.me), e 15% para montar uma equipe dedicada à campanha dentro do Nossas.
*Até aqui, construímos essa resistência com pessoas incríveis que voluntariaram seu tempo para garantir que ninguém fique pra trás. Com o propósito de manter ativa nossa união, precisaremos montar uma equipe para acompanhar as organizações receptoras, te atualizar sobre o uso dos recursos e articular os próximos passos da nossa resistência! #NinguémFicaPraTrás
QUEM ESTÁ PROMOVENDO A CAMPANHA?
Somos organizações, cidadãs e cidadãos preocupados com o que a vitória de Bolsonaro significa para o país. Preocupados mais ainda com o que essa vitória significa para os grupos que já são alvos de crimes de ódio, que já estão se intensificando. Entendemos que o mais importante no momento é fortalecer essa resistência, de quem está na ponta, na luta diária contra o preconceito e a intolerância. Somos muitos e somos maiores que o ódio!
Organizações que estão, juntas, construindo essa campanha: